Publicado en el Blog Doctrina Umbandista Ricardo Zaparoni

Se alguem te procurar

Com frio...
É porque você tem o cobertor
Com alegria...
É porque vocêtem o sorriso
Com lagrimas...
É porque você tem o lenço
Com versos...
É porque você tem a musica
Com dor...
É porque você tem o curativo
Com palavras...
É porque você tem a audição
Com fome...  
É porque você tem o alimento
Com beijos ...
Éporque você tem o mel
Com duvidas...
É porque você tem o caminho
Com orquestras...
É porque você tem a festa
Com desanimo...
É porque você tem o estimulo
Com fantasias...
É porque você tem a realidade
Com desespero...
É porque voc^tem a serenidade
Com entusiasmo...
É porque você tem o brilho
Com segredos...
É porque você tem a cumplicidade 
Com tumulto...                                       
É porque você tem a calma
Com confiança...
É porque você tem a força
Com medo...
É porque você tem o amor

 A todos vocêis com carinho

Nos dias que vivemos, muito se ouve falar a respeito do amor. Suspiram os jovens por sua chegada, idealizando cores suaves e delicados tons.

 

Alguns o confundem com as paixões violentas e degradantes e, por isso mesmo, afirmam que o amor acaba.

 

Entretanto, o amor já foi definido pelos Espíritos do Bem como o mais sublime dos sentimentos. Reveste-se de tranquilidade e confere paz a quem o vivencia.

 

Não é produto de momentos, mas construção laboriosa e paciente de dias que se multiplicam na escalada do tempo.

 

Narra o famoso escritor inglês Charles Dickens que dois recém-casados viviam modestamente. Dividiam as dificuldades e sustentavam-se na afeição pura e profunda que devotavam um ao outro.

 

Não possuíam senão o indispensável, mas cada um era portador de uma herança particular.

 

O jovem recebera como legado de família um relógio de bolso, que guardava com zelo. Na verdade não podia utilizá-lo por não ter uma corrente apropriada.

 

A esposa recebera da própria natureza uma herança maravilhosa: uma linda cabeleira. Cabelos longos, sedosos, fartos, que encantavam.

 

Mantinha-os sempre soltos, embora seu desejo fosse adquirir um grande e lindo pente que vira em uma vitrina, em certa oportunidade, para os prender no alto da cabeça, deixando que as mechas, caprichosas, bailassem até os ombros.

 

Transcorria o tempo e ambos acalentavam o seu desejo, sem ousar expor ao outro, desde que o dinheiro que entrava era todo direcionado para as necessidades básicas.

 

Em certa noite de Natal, estando ambos face a face, cada um estendeu ao outro, quase que ao mesmo tempo, um delicado embrulho.

 

Ela insistiu e ele abriu o seu primeiro. Um estranho sorriso bailou nos lábios do jovem. A esposa acabara de lhe dar a corrente para o relógio.

 

Segurando a preciosidade entre os dedos, foi a vez dele pedir a ela que abrisse o pacote que ele lhe dera.

 

Trêmula e emocionada, a esposa logo deteve em suas mãos o enorme pente para prender os seus cabelos, enquanto lágrimas significativas lhe rolavam pelas faces.

 

Olharam-se ambos e, profundamente emocionados descobriram que ele vendera o relógio para comprar o pente e ela vendera os cabelos para comprar a corrente do relógio.

 

Ante a surpresa, deram-se conta do quanto se amavam.

 

*   *   *

 

O amor não é somente um meio, é o fim essencial da vida.

 

Toda expressão de afeto propicia a renovação do entusiasmo, da qualidade de vida, de metas felizes em relação ao futuro.

 

*   *   *

 

O amor tem a capacidade de estimular o organismo e de lhe oferecer reações imunológicas, que proporcionam resistência para as células, que assim combatem as enfermidades invasoras.

 

O amor levanta as energias alquebradas e é essencial para a preservação da vida.

 

Eis porque ninguém consegue viver sem amor, em maior ou menor expressão.

 

Redação do Momento Espírita com base em conto de Charles Dickens, e no cap. 13

do livro Momentos enriquecedores, pelo Espírito Joanna de Ângelis,

psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.

Em 05.05.2009.

Axact

Axact

Vestibulum bibendum felis sit amet dolor auctor molestie. In dignissim eget nibh id dapibus. Fusce et suscipit orci. Aliquam sit amet urna lorem. Duis eu imperdiet nunc, non imperdiet libero.

Post A Comment:

Publicidad